Democratas atuantes na CPMI que investiga acordo de delação da JBS

11 de Setembro de 2017

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), instalada na última semana para investigar o acordo de delação firmado entre executivos da JBS e o Ministério Público Federal (MPF), contará com a participação ativa de parlamentares Democratas. O senador Ronaldo Caiado (GO) e os deputados Juscelino Filho (MA) e Marcelo Aguiar (SP).

jf2-1A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), instalada na última semana para investigar o acordo de delação firmado entre executivos da JBS e o Ministério Público Federal (MPF), contará com a participação ativa de parlamentares Democratas. O senador Ronaldo Caiado (GO) e os deputados Juscelino Filho (MA) e Marcelo Aguiar (SP).

Para o deputado Juscelino Filho, titular da comissão, os fatos revelados são graves e precisam ser apurados. “Há muito que ser explicado nessa história”, destacou Juscelino Filho (MA). “Como membro dessa comissão, quero acompanhar de perto e ajudar a buscar as respostas que a sociedade exige”, assegurou.

Ainda de acordo com Juscelino, os irmãos Batista não podem ficar impunes. “Apesar de cometerem e relatarem diversos crimes, esses senhores foram beneficiados exageradamente com o acordo de delação”, argumentou. “É preciso que a justiça seja feita e estaremos atentos a isso”, afirmou.

Já Marcelo Aguiar destacou que a CPMI era aguardada não só pela sociedade como pelos próprios parlamentares. “Todos estamos indignados com essa situação”, disse. “Eles saíram dessa situação sem nenhum ônus, aproveitando as benesses que ganharam às custas do povo brasileiro”, apontou.

Na abertura dos trabalhos foram apresentados diversos requerimentos de convocação. Destaque para os nomes de Rodrigo Janot, procurador-geral da República; os irmãos Wesley e Joesley Batista, executivos da JBS; Marcelo Miller, ex-procurador federal; Ricardo Saud, executivo da JBS; Demian Fiocca e Luciano Coutinho, ex-presidentes do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

Diante de uma eventual impossibilidade regimental para convocar Janot, o vice-presidente da comissão, senador Ronaldo Caiado sugeriu que o requerimento elaborado especificamente para Janot seja transformado num convite. Os requerimentos devem ser apreciados nesta semana.

fale conosco