Deputado Melles defende importância da realização do censo agropecuário

19 de Abril de 2017

“Estamos sem censo há muito tempo. Foi uma labuta arrumar esse recurso, mas concordo que não podemos fazer um meio censo. Temos uma equipe competente e precisamos confiar naquilo que o IBGE vai trazer”

Conhecedor da realidade do campo, o deputado Carlos Melles (MG) defendeu a importância da realização do censo agropecuário. “Estamos sem censo há muito tempo. Foi uma labuta arrumar esse recurso, mas concordo que não podemos fazer um meio censo. Temos uma equipe competente e precisamos confiar naquilo que o IBGE vai trazer”, afirmou. A redução dos recursos orçamentários para a realização da pesquisa foi tema de audiência pública na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara.

No debate com os deputados, o presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Paulo Rabello de Castro afirmou que o Censo Agropecuário 2017, previsto para começar em outubro, será completo e chegará aos mais de 5 milhões de estabelecimentos rurais, com um maior nível de precisão nas respostas e um menor custo. Ele disse que o censo ‘foi repaginado e ganhou em qualidade e em simplicidade operacional’.

Um censo detalhado custaria aproximadamente R$ 1,6 bilhão em três anos, mas o Orçamento da União destinou por meio de emenda parlamentar apenas R$ 505 milhões neste ano para a tarefa, que teve de ser enxugada.

“Foram incluídas todas as perguntas que caracterizam a propriedade, as técnicas de produção, as dificuldades eventuais, o valor da produção, as despesas e obviamente o universo da agricultura familiar. Foram desconsideradas momentaneamente as perguntas de detalhamento”, disse Castro. A ideia é complementar esse censo, a partir do próximo ano, com pesquisas amostrais anuais dos estabelecimentos.

fale conosco