DIANTE DA GRAVIDADE DA SITUAÇÃO DO SETOR PRODUTIVO, MELLES DEFENDE APOIO À CAFEICULTURA

14 de Julho de 2017

“Não podemos mais aceitar essa situação, estamos produzindo sem o apoio de uma política mínima que possa recuperar o setor e oferecer sustentação de preços”

dep-carlos-melles-comissao-de-tributacao-micro-e-pequenas-empresas-12_07_2017-48O presidente da Frente Parlamentar do Café no Congresso Nacional, deputado federal Carlos Melles (MG), voltou a cobrar publicamente nesta quarta-feira (12) respostas para as demandas apresentadas pela cafeicultura, especialmente o setor produtor.

“Não podemos mais aceitar essa situação, estamos produzindo sem o apoio de uma política mínima que possa recuperar o setor e oferecer sustentação de preços”, disse o parlamentar, argumentando que “o país deu mostras de produtividade e qualidade, saindo de 7 sacas por hectares em 1990 para uma média de 23 sacas atualmente, mas o produtor não tem renda”.

O presidente da Frente do Café direcionou perguntas, por meio de grupos de rede social, ao secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, que está em Medellin, na Colômbia, participando do 1º Fórum Mundial de Produtores de Café.

Os questionamentos da Frente do Café – que tem em seus quadros 230 senadores e deputados, foram rapidamente disseminados e comentados nas redes, com produtores brasileiros, alguns participando do Fórum na Colômbia, avalizando o pedido de respostas. Sobre a apresentação do Conselho Nacional do Café no Fórum, a cargo do presidente da entidade, o ex-deputado Silas Brasileiro, produtores avaliaram como “desconectada da realidade da cafeicultura brasileira”.

Segundo Melles, “o produtor nunca quis e nunca teve benesses, mas sim condições reais para produzir e continuar na atividade, ou seja, instrumentos efetivos que assegurem segurança e que saiam na hora e no volume certo”.

O deputado lembrou ainda que o setor vem lutando há tempos contra o que chamou de “descaso” do governo federal para com o café. “Já fizemos o SOS Café, seguidas audiências públicas, já manifestamos ordeiramente em diversos fóruns, e o mais importante, já apresentamos propostas efetivas e viáveis para o setor, como por exemplo, o Pacto em Favor do Café, e não tivemos qualquer retorno consistente, só improvisos”, pontuou o deputado.

fale conosco