Intervenção no Postalis é consequência da má gestão do governo anterior, afirma Efraim

04 de Outubro de 2017

“É preciso manter a reestruturação que vinha sendo feita pela atual gestão e preservar, sobretudo, os beneficiários do Postalis, que já sofreram muito”, afirmou.

Efraim Filho

O líder do Democratas na Câmara, deputado Efraim Filho (PB), disse que a decisão do governo de decretar a intervenção no Postalis é reflexo da gestão desastrosa que os governos petistas praticaram nos fundos de pensão. “É preciso manter a reestruturação que vinha sendo feita pela atual gestão e preservar, sobretudo, os beneficiários do Postalis, que já sofreram muito”, afirmou.

O parlamentar destacou que os fundos de pensão tinham uma regulação confusa, pouca transparência e uma governança frágil, com grande vulnerabilidade. “O resultado foi um rombo bilionário e, agora, essa intervenção”, lamentou.

Efraim, que presidiu a CPI que investigou irregularidades nos fundos de pensão, ressaltou que os fundos de pensão realizavam operações obscuras. “Mas a CPI lançou luz sobre o tema e, a partir dos trabalhados realizados pela comissão, avançaram investigações que vão punir os culpados por tentar acabar com o sonho daqueles que esperavam ter uma aposentadoria tranquila”, afirmou.

O parlamentar paraibano disse esperar que essa intervenção sirva para reestruturar o Postalis e reforçou a necessidade de maior transparência na gestão dos recursos. “É preciso que a governança nessas instituições seja modernizada, para se tornar mais eficiente e segura para os beneficiários”, argumentou.

A decisão da Diretoria Colegiada da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) de decretar a intervenção no Instituto de Seguridade Social dos Correios, o Postali foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira (04) e é válida por prazo de 180 dias. O Postalis é um dos maiores fundo de pensão de estatais do país.

fale conosco