“Os valores liberais do Democratas”, por Murilo Medeiros

26 de Março de 2013

O Democratas, que este ano completa dez anos na oposição ao governo federal, é um dos poucos partidos no Brasil que ainda consegue defender princípios e valores.

O Democratas, que este ano completa dez anos na oposição ao governo federal, é um dos poucos partidos no Brasil que ainda consegue defender princípios e valores. O posicionamento ideológico da legenda no cenário político nacional é muito claro: somos hoje o único partido liberal deste país.

No Brasil, infelizmente, uma perversa ditadura intelectual de esquerda tem impedido o avanço das ideias liberais na formulação de projetos de desenvolvimento para o país, a ponto de palavras como “privatização” e “lucro” serem demonizadas por coletivistas que idolatram o Estado; por burocratas que temem os efeitos da competição livre; por intelectuais que enxergam na estrutura estatal a única chance de se projetarem; por populistas que depredam instituições por mera vocação autoritária. São pessoas imbuídas de ideias totalmente errôneas e preconceituosas.

Liberalismo é antes de tudo liberdade. É a filosofia do homem livre, dos mercados livres e do governo limitado. Foi a partir do desenvolvimento do programa liberal que centenas de milhões de pessoas puderam lograr melhores condições de vida, diferentemente do resultado prático das ideologias que advogam maior concentração de poder, como o fascismo ou o socialismo, que deixaram como legado um rol de tirania e pobreza.

Nossa tradição é a liberdade. O DEMOCRATAS entende que a ordem liberal-democrática é a forma de organização social mais adequada para o desenvolvimento do ser humano e das nações. O programa do partido é constituído sob princípios políticos destinados a preservar a liberdade do indivíduo, tendo como meta a redução das ingerências do poder central sobre a vida das pessoas e sobre as estruturas econômicas. Colocar o ideário liberal acima dos interesses pessoais, nesse momento, é o principal objetivo do partido.

O DEMOCRATAS acredita que a visão de uma sociedade livre deve ser alcançada pelo respeito às liberdades individuais, à eficácia das leis, à proteção ao direito de propriedade privada e ao funcionamento pleno da democracia representativa. Sem a garantia desses valores não há como vingar qualquer modelo de crescimento econômico sustentado, muito menos em ampliar o acesso de todos à oportunidade de prosperar.

Para nós, liberais, o cidadão precisa contar com oportunidades ampliadas e liberdades expandidas para se tornar o protagonista permanente das mudanças que a sociedade brasileira exige. E isso pressupõe ausência de privilégios: vale dizer que a ninguém ou a nenhum grupo poderão ser concedidas vantagens e regalias que não possam igualmente ser estendidos a todos os demais cidadãos. A esses valores acrescenta-se o respeito intransigente à ética, que é também um traço característico do liberalismo.

Na área econômica, os pilares programáticos do DEMOCRATAS obedecem aos preceitos da economia de mercado e à crença na capacidade empreendedora da livre iniciativa com base em sólidas estruturas individualistas, que valorizam o acúmulo permanente de riqueza. Aqui, ninguém se acovardará em reconhecer que o liberalismo e o capitalismo construíram os pilares sobre os quais se baseiam todas as prosperidades do mundo moderno.

Se a estrutura ineficiente do Estado não consegue resolver os gargalos que assolam estradas, aeroportos e portos do país, por que não apoiar a participação do capital privado nesses setores? Por que ter vergonha de difundir os ideais de um sistema político e econômico responsável pela elevação do padrão de vida da humanidade através do progresso científico e tecnológico? Qual é o problema em exigir que o Estado ofereça serviços públicos de qualidade proporcionais ao tamanho da carga tributária?

Os DEMOCRATAS serão porta-vozes dos brasileiros que não suportam mais ser pisoteados pelos tentáculos de um Estado que assalta sem piedade o bolso dos cidadãos com impostos escorchantes; que sofrem com o aparato burocrático do gigantismo estatal; que batalham duro na vida para crescer sem a tutela do estado. O partido não hesitará em denunciar e impedir o surgimento de regimes totalitários, assumindo o compromisso de atuar pela preservação da vida e da família. Uniremos forças para impedir qualquer tentativa de cerceamento da liberdade de imprensa ou supressão de órgãos de fiscalização que valorizam a transparência.

O DEMOCRATAS está preparado para difundir pelos quatro cantos do DF e do Brasil o pensamento liberal, de apoio ao livre mercado, democracia política e direitos individuais, muito distante do populismo retrógrado da esquerda imobilista. É hora de crescermos com a força das novas ideias. Enquanto o DEM existir, os brasileiros com viés liberal não estarão órfãos na política nacional.

Murilo Medeiros é estudante de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB) e presidente do Conselho Político da JDEM-DF.

fale conosco