“País desperdiça a oportunidade de ter cidadãos com melhor formação”, afirma Dorinha sobre PNAD

31 de Março de 2017

Segundo pesquisa, 75% das crianças com menos de 4 anos estão fora da escola

dorinha-para-site-1

Das 10,3 milhões de crianças brasileiras com menos de 4 anos de idade, 7,7 milhões (75%) estão fora da escola. Os dados são da pesquisa “PNAD 2015 – aspectos dos cuidados das crianças de menos de 4 anos de idade” divulgados neste .

A pesquisa aponta que a maioria das crianças pequenas está perdendo o período ideal de estímulos que podem ajudá-las a romper com o ciclo de pobreza. Os anos iniciais de estudo facilitam o processo de alfabetização e contribuem para que concluam o ensino fundamental, afirmam especialistas em educação.

A deputada Professora Dorinha (DEM-TO), que tem como bandeira de atuação na Câmara a Educação, lamentou os dados da pesquisa. Segundo ela, o não atendimento às crianças dessa faixa etária tem um peso social significativo, pois “o país desperdiça a oportunidade de ter cidadãos com melhor formação, e isso reflete no seu próprio crescimento.”

“A primeira infância é a fase mais importante para a criação de uma estrutura mental que fará toda a diferença na construção do desenvolvimento do raciocínio lógico da criança. Mesmo trabalhando alguns aspectos após essa faixa etária, o efeito de aprendizagem não é o mesmo, pois acaba ficando uma falha de desenvolvimento por não ter sido trabalhado no período correto”, completa.

O levantamento é o primeiro do IBGE que analisou os cuidados com crianças pequenas. As mulheres são as cuidadoras de 83,8% das crianças com menos de 4 anos. Há diferenças regionais – no Sul, 20,7% das crianças eram cuidadas por homens; no Nordeste, a proporção foi de 11,9%. Os cuidados de 85,6% dessas crianças ficaram a cargo de pessoas com idades entre 18 e 39 anos.

Há ainda um apontamento para um empobrecimento das famílias com crianças pequenas. Entre os domicílios que não têm crianças com menos de 4 anos, 40,9% tinham renda per capita de até um salário mínimo.

fale conosco