Recuperação da economia e vacina contra covid-19 são temas de live realizada pelo Democratas

29 de Junho de 2020

Ex-ministro Mandetta e líder Efraim Filho destacaram importância de oferecer condições atrativas e acessíveis para que microempresários consigam retomar as atividades quando a pandemia passar

Na noite desta segunda-feira (29), o líder do Democratas na Câmara, deputado Efraim Filho (PB), e o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta conversaram sobre as chances de o Brasil ser um dos países capazes de produzir a vacina contra a covid-19, e a recuperação da economia no período pós-pandemia. 

Na Câmara, Efraim Filho é relator da medida provisória que cria o Programa Emergencial de Acesso ao Crédito. O texto prevê a desburocratização do acesso ao crédito por pequenas e médias empresas que tenham receita bruta anual de R$ 360 mil a R$ 300 milhões.

Durante a live, transmitida pelo Instagram do Democratas, o líder destacou que a retomada da economia brasileira só poderá acontecer se as empresas tiverem condições de investir em seus negócios quando as atividades voltarem ao normal.

“O acesso ao crédito, para os empresários que estão no sufoco, é capaz de salvar empregos. Não adianta falar em retomada da economia se as pessoas não puderem fazer essa travessia. É preciso oferecer crédito para as empresas, com uma taxa de juros acessível e atrativa aos empreendedores”, enfatizou Efraim Filho.

Para o ex-ministro, a medida vai alavancar o cenário econômico do Brasil pós-pandemia.

“Desde o começo dessa pandemia eu falei que seriam 20 semanas muito difíceis. E para sairmos desse momento com fôlego, é necessário dar as condições necessárias para que os microempresários consigam retomar as atividades quando a pandemia passar”, alertou.

Vacina

Mandetta avaliou que, apesar de ainda estarmos distantes de uma vacina para a covid-19, podemos nos preparar para fazer a diferença quando laboratórios finalizarem as etapas de testes que já acontecem com algumas fórmulas apresentadas ao redor do mundo.

“Em epidemia, a única saída que a humanidade teve, quando precisou enfrentar esse tipo de situação, foi baseada em ciência. O processo é demorado porque a gente precisa conhecer a doença, conhecer o vírus, para depois encontrar a vacina, que ainda é a melhor invenção do homem para combater doenças virais”, disse.

Além disso, citou a importância de efetivar a produção de vacinas em solo brasileiro para atender demandas em massa. Mandetta avaliou, inclusive, que o Brasil tem capacidade de produzir e abastecer todos os países da América do Sul.

“Sou otimista, mas com os dois pés no chão. A Fiocruz já fez a parte de terraplanagem do terreno, agora precisa iniciar as obras do espaço que vai receber o complexo de produção. O Brasil tem como garantir a liderança nesse processo, mas é preciso agir”, ponderou o ex-ministro da Saúde.

Investimentos no SUS

“Uma coisa paralela a essa crise, que é importante destacar, é o investimento feito pelo país no Sistema Único de Saúde (SUS) nos últimos meses, que foi muito robusto. Quando a gente passar por isso tudo, vamos ter um legado importante também”, salientou o deputado Efraim Filho, alertando para a melhoria da oferta de leitos de UTI em todo o país.

“Este é um valor que volta para a sociedade. Agora, é hora de a classe política trabalhar, ainda mais, em defesa do SUS”, ressaltou o ex-ministro Mandetta ao defender a criação de um fundo de atenção básica ao Sistema Único de Saúde.

“Similar ao Fundeb, com regras capazes de desonerar parte do orçamento para realizar investimentos em leitos de alta e média complexidade e no atendimento aos queimados, por exemplo. Além de aplicar em estruturas hospitalares que poderão atender um maior número de transplantes de órgãos ou servir de UTI neonatal para prematuros”, acrescentou Henrique Mandetta.

fale conosco