Rodrigo Maia reafirma que Câmara não vai aceitar a volta da CPMF

18 de Fevereiro de 2020

Rodrigo Maia voltou a cobrar a contribuição dos empresários na reforma tributária. Segundo ele, o Estado brasileiro concentra renda e não reduz desigualdades.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reafirmou nesta terça-feira (18) que os deputados não vão aceitar a volta da CPMF. Ele disse que, com a reforma tributária, a carga tributária vai cair.

Maia ressaltou que a carga tributária brasileira é de 36% do Produto Interno Bruto (PIB) e que, em “nenhuma hipótese”, haverá aumento desse valor.

“Nós vamos garantir, na reforma tributária, é que a carga vai cair de 36% para baixo. Não há nenhuma hipótese, nenhuma chance de ter 1 real de aumento na carga tributária”, explicou Maia, durante entrevista coletiva em São Paulo, após participar de evento do BTG Pactual.

Rodrigo Maia voltou a cobrar a contribuição dos empresários na reforma tributária. Segundo ele, o Estado brasileiro concentra renda e não reduz desigualdades.

“Se tivesse que escolher entre a reforma administrativa e a tributária, eu fico com a tributária, porque pelas simulações que acompanhamos vai ser muito positivo para o crescimento do País”, disse o presidente durante evento promovido pelo BTG Pactual em São Paulo nesta terça-feira (5).

“O que não pode é ter esse sistema mantido como está, ou criando uma CPMF, para que a sociedade pague a conta para resolver um setor da economia, é hora de todo mundo ajudar”, disse Rodrigo Maia.

fale conosco